Copie o código Audima:

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Mãe de Raíssa diz que a filha confiava muito no menino de 12 anos que é acusado de matá-la


Rosevânia Caparelli Rodrigus, mãe da menina Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, pela primeira vez falou a respeito do assassinato da filha e emocionada disse que a menina confiava muito no adolescente de 12 anos que vem sendo apontado como o assassino da garota. 

Emocionada, a mãe disse em uma entrevista ao SPTV da Globo que estava em uma festinha no CEU e pediu a Raíssa para ficar esperando na fila do pula-pula porque ia buscar pipoca para o filho mais novo.

“Tá bom, mamãe, estou brincando aqui com ele no pula-pula”, teria sido a última frase da garotinha à mãe. A mulher foi buscar a pipoca e quando voltou não encontrou mais a filha. Ela saiu perguntando todo mundo se tinham visto uma menina com roupa rosa, mas ninguém sabia dizer. Roseânia chegou a ir até o palco e anunciar o desaparecimento da criança, todos então começaram a ajudar.

O menino de 12 anos teria confessado o crime e foi levado para uma unidade da Fundação Casa, só que a mãe do suspeito alega que ele não assumiu a autoria do assassinato e que apenas presenciou a menina ser assassinada.

“Comecei a rodar o parque inteiro, chamei as meninas, anunciei no palco e nada. Avisei os policiais do CEU, todo mundo procurando e nada”, disse Roseânia. A mãe de Raíssa já conhecia o menino suspeito e também as irmãs dele e ficou sabendo que uma vez o garoto precisou ser internado, mas quando foi questioná-lo o menino contou que foi por causa de uma briga que teve com os pais.

“Minha filha era muito rígida, ela não ia com ninguém. Nem com minha irmã nem com meu cunhado. Ela confiava nele“, confessou Roseânia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As mais visitadas