sábado, 28 de setembro de 2019

Petrobras eleva gasolina em 2,5% nas refinarias


Os aumentos ocorreram após o ataque a instalações petrolíferas na Arábia Saudita

A Petrobras elevou nesta sexta-feira o preço da gasolina em suas refinarias em cerca de 2,5% , de acordo com informações no site da estatal.

O reajuste ocorreu após a companhia ter aumentado em 3,5% o preço da gasolina na quinta-feira da semana passada. Naquela oportunidade, também reajustou o valor do diesel em 4,2%.

O anúncio de aumento de preço da gasolina e diesel nas refinarias foi feito dois dias após a Petrobras afirmar que estava acompanhando a variação do preço do petróleo no mercado internacional e que não faria ajuste de forma imediata nos preços dos combustíveis. Logo após que foi anunciado o aumento do preço, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o reajuste da Petrobras não teve interferência do governo .

Os aumentos ocorreram após o ataque a instalações petrolíferas na Arábia Saudita, que fizeram o barril do petróleo encostar em US$ 70. O preços do barril, porém, cedeu nos últimos dias, depois que os sauditas afirmaram na segunda-feira passada que havia recuperado cerca de 75% da produção de petróleo perdida após os ataques e que restaurariam todo o fluxo nos próximos dias .

‘Confusão danada’

Na segunda-feira, em entrevista à rádio Jovem Pan, o ministro da Economia, Paulo Guedes , disse que reajustes nos preços de combustíveis vão sempre causar “confusão” e “barulho”. Para Guedes, é normal que o presidente Jair Bolsonaro fique preocupado com a dimensão política desse tipo de medida, mas isso não significa uma tentativa de interferir nas decisões da Petrobras.

— Ué, vai ser um problema de novo. Vai ter barulho de novo. Vai ter uma confusão danada e vamos ver o que acontece no final. Até hoje, o final tem sido feliz, mas sempre tem barulho — disse Guedes, questionado sobre o que ocorreria se a estatal reajustasse novamente o preço de combustíveis.

Nesta semana, os contratos futuros da gasolina negociados nos Estados Unidos tiveram queda de cerca de 2%.

O câmbio, outro fator utilizado pela Petrobras para acompanhar a paridade internacional dos combustíveis, está praticamente estável no acumulado da semana.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As mais visitadas