terça-feira, 7 de maio de 2019

Sociedade mossoroense julga hoje acusados da chacina do baile funk ocorrida em março de 2017 em Mossoró.


Quatro acusados de proveram um massacre durante um baile funk, onde cinco pessoas foram mortas e outras seis ficaram feridas, serão julgados pelo Tribunal do Júri Popular, nesta terça feira, 7 de maio. Conhecida como a chacina do baile funk, ocorreu no dia 11 de março de 2017, durante uma festa em um Biffet na rua Hermano Mota no Bairro Boa Vista em Mossoró.

Pouco mais de 2 anos depois do massacre, os resposáveis pela tragédia sentam no banco dos réus e serão julgados pela sociedade mossoroense. São cinco acusados, mas somente quatro vão ser julgados, porque um dos envolvidos é menor de idade e cumpre medida socioeducativa.

Serão julgados

 Felipe Martins dos Santos, o "Playboy", Marlon Bruno da Silva Nascimento, o 'Shampoo', Francisco Josenilson da Silva, o 'John' e Abdiel da Silva Domiciano, o 'Galadim', 

Os quatro considerados pela polícia como de alta periculosidade, vão ser defendidos por dois advogados, Dr. Olavo Hamilton e um defesor público, Dr. Diego de Melo da Fonseca. A acusação ficar a cargo do promotor de justiça Dr. Ítala Moreira Martins e a presidência dos trabalhos ficar a cargo do juiz Vagnos Kelly de Figueiredo. Os destinos dos acusados serão decididos pelo conselho de setença, formado por sete mebros da sociedade mossoró.

Vítimas da chacina (mortos):

Eriely Amanda de Souza Neves, de 21 anos

Jocie Morais da Fonseca, de 20 anos

Eduardo Nunes Farias, de 19 anos

Israel Gomes Bezerra, de 19 anos

Kaynan Gomes, conhecido como 'Mc Kay', de 16 anos

Sobreviventes:

Ronald Kainnã Barbosa Gomes

Lucas de Lima rezende

Gabriela Almeida

João Felipe Cavalcante da Silva

Artur David Araújo de Almeida

Antônia Graziella Cavalcante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizado: Mototaxista e passageiro são perseguidos e mortos a tiros em São José de Mipibu/RN

Dois homens foram assassinados a tiros na noite desta sexta-feira (14) em São José de Mipibu, cidade da Grande Natal. Segundo a Polícia Civ...