sexta-feira, 8 de março de 2019

CAI NÚMERO DE HOMICÍDIOS CONTRA MULHERES, MAS REGISTROS DE FEMINICÍDIOS AUMENTAM EM GOIÁS



Monitor da Violência aponta queda de 18% nos assassinatos dolosos de mulheres e crescimento de 22,5% de casos em que a motivação foi a questão de gênero, em 2017 e 2018
Nesta sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, foi resultados do Monitor da Violência que indicam os números de assassinatos de mulheres em 2017 e 2018. O levantamento mostra que a quantidade de homicídios contra elas caiu 18% em Goiás. No entanto, os registros de feminicídio – casos em que mulheres foram mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero – aumentaram em 22,5%.

O secretário de Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP), Rodney Rocha Miranda, disse que o órgão tem planos para unir iniciativas com outras secretarias para agilizar ainda mais as denúncias e trabalhar uma “mudança de cultura”. Segundo ele, para que os números de feminicídio caiam “é preciso ter uma ampla interlocução com a sociedade civil”.

O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. No país, uma mulher é morta a cada duas horas.

O feminicídio é crime previsto no Código Penal desde 2015 com pena de reclusão de 12 a 30 anos. Nestes casos, o criminoso que se sente dono da mulher e, normalmente, dá como desculpa ciúmes, traição e dificuldades com a separação. Segundo o levantamento, em Goiás, foram registrados 31 casos desse tipo de crime em 2017 e 38 no ano seguinte.

Já os outros tipos de homicídios dolosos – quando o autor assumiu o risco ou teve a intenção de matar, independente do sexo – contra mulheres passaram de 166 para 136 no mesmo período.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caçamba em zigue-zague e sem farol por pouco não causa tragédia em Assu

Na noite deste sábado, 25 de maio, policiais do NPRE de Assu foram acionados com a informação de que um veículo tipo caçamba por pouco nã...