terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Liberação da mulher que matou o pai com veneno no RN causa indignação

Familiares do homem que foi morto pela própria filha com um injeção de veneno dentro de um hospital estão revoltados com o fato da suspeita ter sido liberada pela Justiça.
Fernanda Danyele de Oliveira Rocha, de 27 anos, teria matado o pai José Evangelista da Rocha, de 60 anos, dentro da UTI do Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, dia 15 de janeiro. Ela chegou a ser presa preventivamente, mas acabou liberada no dia 6 de fevereiro.
O juiz José Armando Ponte Dias Júnior, da 3ª Vara Criminal de Natal, entendeu que, por ela ter um filho pequeno, poderia responder o processo em liberdade. O fato dela não ter antecedentes criminais e possuir residência fixa também pesou para a decisão de conceder a liberdade.
Parte da família da vítima está revoltada com a decisão e pede Justiça pela morte do idoso de 60 anos. A irmã dele, Raimunda Evangelista, disse estar indignada. “Todo mundo está revoltado com isso. Ela tirou a vida do próprio pai. Aí quando acabar passa o quê? Vinte dias presa. Cadê a Justiça?”, questionou. Na opinião dela, o juiz errou. “Quer dizer que a filha tem direito de tirar a vida do próprio pai e quando acabar tá solta? Quer dizer que o juiz está incentivando os filhos a matarem os pais. Porque mata e vai solta”, afirmou. A familiar da vítima também disse que a suspeita não sofre de problemas psiquiátricos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho problema nenhum com Moro, diz Bolsonaro sobre sua ingerência em ministros

Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem/Fotoarena/Folhapress O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste sábado (24) ter ingerência sobre ...