quarta-feira, 4 de julho de 2018

Pelo menos 13% da população de Natal mora em áreas de risco de desastres naturais



A capital potiguar contabiliza mais 104.432 moradores em domicílios permanentes em áreas de vulnerabilidade ambiental – o que corresponde a 13% da população urbana absoluta de Natal, segundo o último Censo demográfico do IBGE, de 2010, publicado recentemente.

O Nordeste foi a segunda região com o maior número de moradores em áreas de risco (2.952.628), o que representava 11,4% da população total dos 294 municípios analisados. Nessa região, a população exposta em áreas de risco era constituída por 9,1% de crianças menores que 5 anos e 8,4% de pessoas com mais de 60 anos, segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN).

De acordo com o Ministério das Cidades, as áreas de risco são definidas como áreas suscetíveis a ocorrência de fenômenos ou processos naturais ou induzidos que causem acidente. No caso do bairro de Mãe Luiza, pelo menos 15 casas contornam um barranco de mata fechada, equivalente a um prédio de 20 andares, localizado por trás do estádio Juvenal Lamartine, em Petrópolis. Lá, não existe muro de arrimo. A contenção se resume às inúmeras árvores – umbuzeiros e castanholas, na maioria – plantadas há anos pelos mesmos moradores.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rádio patrulha captura foragido da justiça em Assú após vias de fato

Após um chamado através do 190, informando de uma briga entre vizinhos na comunidade rural de Mutamba da Caeira, na tarde de sexta-feira, ...