quarta-feira, 4 de julho de 2018

Pelo menos 13% da população de Natal mora em áreas de risco de desastres naturais



A capital potiguar contabiliza mais 104.432 moradores em domicílios permanentes em áreas de vulnerabilidade ambiental – o que corresponde a 13% da população urbana absoluta de Natal, segundo o último Censo demográfico do IBGE, de 2010, publicado recentemente.

O Nordeste foi a segunda região com o maior número de moradores em áreas de risco (2.952.628), o que representava 11,4% da população total dos 294 municípios analisados. Nessa região, a população exposta em áreas de risco era constituída por 9,1% de crianças menores que 5 anos e 8,4% de pessoas com mais de 60 anos, segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN).

De acordo com o Ministério das Cidades, as áreas de risco são definidas como áreas suscetíveis a ocorrência de fenômenos ou processos naturais ou induzidos que causem acidente. No caso do bairro de Mãe Luiza, pelo menos 15 casas contornam um barranco de mata fechada, equivalente a um prédio de 20 andares, localizado por trás do estádio Juvenal Lamartine, em Petrópolis. Lá, não existe muro de arrimo. A contenção se resume às inúmeras árvores – umbuzeiros e castanholas, na maioria – plantadas há anos pelos mesmos moradores.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O mototaxista Gerson Kennedy, de 23 anos, que estava desaparecido desde a última segunda-feira (12), após sair de Santo Antônio do Salto da ...